Rádio Angola (RA): A todos nossos ouvintes da comercial RA muito bom dia, boa tarde, boa noite, onde quer que esteja a nos ouvir, eu sou o Pedro Gonga, por hoje vamos poder falar com os Jovens do auto denominado Movimento Revolucionário que, segundo eles irão realizar uma Manifestação, isto é no Sábado, dia 9 de Abril do ano em curso.

Vamos poder falar com eles para contarem como é que esta sendo preparada a realização ou então a mobilização dessa manifestação. Eu vou por falar aqui com um dos jovens que esta aqui, ao meu lado.
RA – Boa tarde qual é o seu nome?
MR – Boa tarde, sou o Male Ibraim, Estudante e desempregado.
RA – Segundo o que eu li nas redes sociais vocês tencionam realizar uma Manifestação no dia 9 de Abril do corrente ano, qual é o lema desta manifestação?

MR – nós vamos realizar a manifestação no dia 9 de Abril de 2016, pelas 13 horas, isto a concentração será no São Paulo, defronte ao Cine São Paulo, o lema da mainifestação será Prendam o Ditador e soltem os nossos manos que foram condenados Injustamente, para dizer dizer que nós já mobilizamos o pessoal todo, todos angolanos para nos manifestarmos. Vamos nos manifestar a favor dos nossos manos que foram prendidos, vamos nos manifestar para exigirmos a nossa libertação, porque com a condenação de Marcos Mavungo, a morte de Isaías Cassule e Alves “Kamulingue”, a condenação de dos 15+2 ativistas acusados de prepararem um Golpe de Estado, a condenação mais recente de Julino Kalupeteca, mostra-nos mais uma vez que nós estamos num regime ditatorial e que todos nós somos condenados, por isso, mais uma vez quero pedir a sociedade, a comunidade angolana para que apareçam nesta mesma manifestação afim de exigirmos todos a nossa liberdade.

RA – Vocês já compriram com os parámetros legais, isto é com a lei 16/19 de 11 de Maio, lei sobre o direito da reunião e Manifestação?
MR – Ok, nós já demos a entrada de uma carta que foi assinada pela Senhora Eva, isto é no dia 21 de (…de Maio) a Comunicar que no dia 9 de Abril do ano em curso hemos de realizar uma Manifestação, e ainda assim, ontem (06-04-2016), deu-se a entrada mais uma vez de uma carta à Comunicar que sairemos mesmo às ruas.
RA – Vocês não têm medo de serem mais uma vez apanhados, uma vez que os 15+2 já foram condenados, ou seja, nos últimos dias está-se a verificar muitas condenações, vocês não têm medo de voltar a sair as ruas?

MR – Não temos medo, por isso vamos aproveitar este momento para deixar um apelo ao Juíz Januário Domingos para que se prepare, que havera mais trabalho para ele e também pedir ao ditador José Eduardo dos Santos para que inaugurem mais cadeias porque somos ceca de 25 milhões de cidadãos angolanos que vão manifestar-se à favor da nossa liberdade.

RA – Vou mais poder ouvir um dos Jovens que esta aqui, que é do alto denominado Movimento Revolucionário, como é que esta a mobilização para esta Manifestação?

MR – Quanto a mobilização temos a dizer que uma boa parte dos jovens e dos angolanos já estão totalmente mobilizado, fez-se um esforço enorme no sentido de passar a Mensagem a todos eles porque o momento actual que nós passamos afecta a todo Angolano, nós vimos que estamos numa sociedade em que até o próprio sistema de Justiça que podia nos garantir um pouquinho de de proteção dos Direitos esta totalmente controlado por parte do poder político daí que nós fizemos umamobilização no espaço virtual, passamos também em algumas Rádios, e também a mobilização passa-palavra, cada um de nós foi passando a palavra ao Seu vizinho, ao Seu irmão e também aos Seus Colegas.

A Manifestação também tem um outro lado, surge no sentido de protestarmos sobre o actual momento caótico que se passa no nosso sistema de saúde em que nós verificamos a falta de isntrumentos básicos nos nossos Hospitais, que até um certo ponto, tem causado milhares de mortes, o outro motivo da manifestação também prende-se muito com a falta do saneamento básico, nós vimos que as pessoas aqui vivem quase com o esgoto ao sol aberto tem facilitado a propagação das doenças.

O terceiro motivo que nos leva à nós todos a protestarmos, tem haver com a condenação injusta dos 15+2+1 que é o Dago, que foi injustamente condenado injustamenteestarmos, o Kalupeteca que foi condenado à 28 anos de cadeia, numa prisão inlegal, tendo em conta que a pena máxima de acordo o nosso Código Penal são 24 anos mas, para ele lje foi aplicado 28 anos e também o nosso irmão Mavungo que se encontra em Cabinda preso pelo facto de tentar manifestar-se contra as injustiças em que se passava na Sua Província e o último motivo também prende-se com a longividade do poder por parte do Presidente da República não esta certo numa socieda que se diz Democrática um individuo seja durante 38 anos o Senhor e o dono do destino da maior parte dos angolanos, chega, chega e tendo em conta que cada um de nós sente-se parte da sociedade e que aceita correr todos os riscos posíveis, daí que nos mobilizamos toda massa e gama da população angolana no sentido de fazermos frente a esse governo que nos aprisiona cada vez mais a nossa liberdade esta condenada com esse governo, daí que nos temos que fazer qualquer coisa no sentido de nos libertar,o medo existe, mas a nossa coragem é muito maior que o medo,temos que fazer frente ao nosso medo.

RA – Esta manifestação só irá decorrer em Luanda ou também noutros pontos do País?

MR – Sim, na semana passada, no dia 4 tivemos uma manifestação em Benguela que foi duramente reprimida por parte da Polícia, mais uma vez, como sempre é de hábito e no Sábado, dia 9 temos também a manifestação, além da manifestação em Luanda, também os Jovens do Movimento Revolucionário têm estado a mobilizar pessoas no sentido de se manifestarem novamente em Benguela, Namibe e também n a Província da Huila e chega-nos relato que em Cabinda há um pequeno grupo que vai se manifestar contra as injustiças do próprio regime.

RA – Voltando ao caso dos 15+2, vocês têm visitado esses presos?
MR – Acho que o momento actual cada um dos manos preso estaria mais satisfeito que, além de nós irmos visita-los, que fizéssemos algo, que cada vez mais inclusivo, que que exercêssemos pressão sobre o regime, porque em qualquer sociedade políticamente organizada os cidadãos devem arranjar formas de poder precionar os dentetor do poder político e prendermo-nos apenas em simples visita, pode criar uma espécie de agonia e dor por parte dos próprios manos, daí que, o que eles nos pediram, acho que foi a mensagem que cada um de nós incutiu nos demais, o que eles nos pediram é que nós fizéssemos algo em prol deles e dessemos a continuidade da luta, porque a luta não esta vencida, nem tão pouco está perdida, demos lutar cada vez mais no sentido de darmos continuidade daquilo que foi a luta de cada um dos 15+2, Marco Mavungo e também de Julino Kalupeteca.

RA – Exite um plano de apoio material as famílias dos detidos?
MR – Sim, este plano existe, o movimento revolucionário encabeçou um plano no sentido de angariar os fundos monetários, materiais e também de toda espécie, no sentido de ajudarmos as famílias que neste momento necessitam tanto do apoio de cada um dos sectores da sociedade, acho que o momento que elas estão a passar cada um de nós, cada um dos jovens, cada um dos angolanos poderia estar no lugar deles.

RA – Uma mensagem para a juventude?
MR – A juventude tem de estar mais consciente, ir atraz dos seus direitos, protestar como em qualquer sociedade, devemos deixar de ser aquele cidadãos dados como especiais e passarem a ser cidadãos normais, aqueles que protestam, pedem, os seus direitos, os direitos conquistam-se e não se dão.

RA – A princípio não se identificou, gostariamos que identifica-se agora…

MR – Eu sou Tuquide Scott, Estudante de ciência Política.
RA – Brigado…

RA – vou mais uma vez ouvir aqui, de um jovem do alto denominado Movimento Revolucionário, boa tarde?
MR – Boa tarde….

RA – Nome?

MR – “Mente Observador”, estou aqui para apelar a todos os angolanos, que o Movimento Revolucionário previu essa manifestação para todos, não aó para o Movimento, mas para todos os angolanos, neste caso, nós vamos na luta para libertarmos os nossos manos e exigir ao nosso governo que ultrapassasse a situação caótica que estamos a viver, a nossa situação caótica que estamos a viver, há pessoas a morrerem nos hospitais por falta de paracetamol isso é inútil quando para uma (um) festa ou festival chamam Nick Minaje para lhe pagarem USD2.000.000 (dois milhões de Dólares), e o pvo aqui à morrer, a sofrer por falta de um paracetamol, também, para apelar que, ao povo, aquele jovem, docente jovem, que tem aquela força, ele tem de perceber que ele é a força motriz desse País (Angola), se eles (os Jovens) não poderem sair às ruas quem mais poderá sair?…

E apelar também que nós Movimento Revolucionário estamos unidos, no sentido de podermos encarar todas dificuldades que o Executivo poderá estabelecer para nós estamos ciêntes das dificuldades, das porradas (Surra), das cadeias onde nós vamos entrar, mas, o mais importante é que o governo nos liberte deste boraco que ele está a cavar e para apelar aos Jovens, retirar aquele espírito de medo que o ZEDU (JES) nos impõe, retirar aquele espírito de ir na cadeia, que todos dizem, quem manifestar-se vai morrer, se o jovem não se levantar para poder ir à luta ninguém mais o fará, então, o povo em geral, Angola inteira ou a nossa República depende muito da nossa juventude e essa juventude se tornar, se manter-se calada é claro que os dirigentes maiores ou normalmente o Partido Político a governar a Nação vai se tornar cada vez mais forte, vai sentir.se que esta a trabalhar, mas afinal de contas não está a trabalhar nada. Estamos a viver mesmo precáriamente.

RA – Neste caso esta querer dizer que não tens medo do tratamento que irás receber la (na Cadeia)?

MR – Meu irmão, eu já enterrei o medo, eu nesse momento já enterrei o medo, já não tenho medo de nada, medo de que? De apanhar porrete, não, não vou mudar meus ideias.
RA – Mas a Polícia não bate?

MR – A Polícia Bate, a políc a daqui não importa, se você estiver a descutir os seus direitos eles te dão (te Batem), se esta escrito na Cosntituição da República de de Angola, o mais importante para eles (a Polícia Nacional) é cuprir com as ordens superiores, não querem saber da Justiça.

RA – Você disse da justiça, como é que olhas para a condenação do caso Kalupeteca?

MR – O caso Kalupeteca é uma pena mesmo, eu posso dizer que esta nossa Justiça esta completamente doente, doente porque?… imaginemos que a pena maior é de 24 anos de Prisão, mas como é que o Juís vai acrecer a Pena para 28 anos de cadeia, que não está explanado na CRA, é uma doença tem se rever muito isso porque esta mal.
RA – Eu também não sei como responder a Sua questão e apelamos a quem é de Direito aos Jurista, que venham esclarecer esta centença do caso Kalupeteca e vou por mais falar com um dos Jovens que esta aqui, boa tarde?

MR – Boa tarde sim…
RA – O seu nome?
MR -Chamo-me Agostinho Eduardo.
RA – Eduardo, o que tens a dizer a respeito da Manifestação do dia 9 de Abril?

MR – Só para dizer que a sociedade toda, a sociedade angolana esta convidada aparecer nesse dia é um dia em que nós enquanto povo, enquanto dentetores do poder iremos e sairemos as ruas para poder pedir liberdade e Justiça, para poder exigir todos os nossos direitos fundamentais.

RA – Qual é o resultado que vocês esperam desta Manifestação?
MR – Esperamos, siceramente que o poder Executivo se sinta realmente precionado e atenta aquilo que são as responsabilidades do mesmo para com o povo, em 1992 o povo foi às urnas, votou e delegou uma parte do poder, nós continuamos a ser um povo soberano, então nós vamos tentar manifestar essa nossa soberania.
RA – Vocês já deram a entrada da carta à Polícia Nacional, para que esteja no local, garantindo a ordem e a tranquilidade?

MR – Todos os parámetros já foram seguidos, realmente só estamos a espera que o dia 9 de Abril venha, para nós podermos então manifestar-nos aquilo que é nosso por direito.

RA – Esta vossa manifestação é pacífica?

MR – Sim, a manifestação é pacífica, nós apenas temos sede de Justiça, sede de liberdade, sede de poder exigir aquilo que é nosso, o povo não pede nada de mais, senão aquilo que são as condições básicas e fundamentais para se poder viver, como; saneamneto básico, ou seja a saúde do ponto de vista geral, pedimos mais inclusão à própria sociedade, nós pedimos emprego, pedimos uma data de coisas que não está para além das responsabilidades do próprio Estado.

RA – A quem diga que os jovens do alto denominado Movimento Revolucionário são arruaceiros, criam confusão, fazerm distúrbio, em fim, por isso que eu perguntei se a manifestação é mesmo de carácter pacifica?

MR – É pacífica e sempre foi, é apenas uma tentativa de poderem sujar a imagem do Movimento Revolucionário, nós não temos nada de violência, não levamos conosco armas senão a própria união, a própria união é a força de querer poder manifestar os nossos direitos e nada mais.

RA – Uma Mensagem a quem querer se juntar a vossa iniciativa?

MR – Ok, só para dizer que a juventude é o veículo de toda sociedade, não podemos considerar jovem aquele que nesse momento se encontra centado a espera que os seus direitos sejam realizados, nós acreditamos que toda sociedade, ou uma boa parte da sociedade, da massa associativa venha, no dia 9 de Abril as ruas no Sõa Paulo e caminhe, marche conosco até então no primeiro de Maio para podermos fazer sentir os nossos direitos.

RA – Brigado, eu estou aqui com mais de duas dezenas de jovens que estão dispostos a darem a sua opinião em relação a Manifestação marcada para dia 09, mas, infelizmente não poderemso ouvir todos porque o tempo não nos permite, mas vou passar mais aqui a palavra à um dos Jovens que esta aqui conosco, Boa tarde?

MR – Boa tarde…
RA – Seu nome?
MR – Ganga Luango Peregrino.
RA – Ganga Luango, que tens a dizer sobre a manifestação do dia 9 de Abril?

MR – Bem, primeiro convidar todo mundo aparecer e fazer qui um rescaldo da história do nosso País, 1977 – 2016, em 1977 o governo do MPLA naltura liderado pelo Agostinho Neto assassinou milhares e milhares de angolanos e chamou-lhes de fraccionistas e JES era o responsável para apresentar o inquérito da justificação destas mortes e até hoje nunca apresentou o resultado e as verdadeiras explicações das matanças que aconteceram, o quê que acontece, 2016 são 39 anos passados desde o fraccionismo, a mesma condenação que se fez foi mortes, onde o próprio Agostinho Neto disse não vamos perder tempo com julgamentos, vamos niquila-los e aconteceu, 2016, 39 anos depois fomos a um julgamento de palhaçada com um Juíz palhaço e com uma Magistratura Judicial totalmente palhaça, por isso nós vamos para as ruas, exigindo. O quê que se passa?, o que se passa em Angola é uma ditadura tremenda, em 1977 os que tentaram falar algo contrário ao MPLA, foram assassinados, em 2016 39 anos passados foram condenados injustamente e com o Kalupeteca, à muito tempo em 77 também já aconteceu com alguns líderes das Igrejas, por exemplo Simão Toco foi preso e depois então foi entregue ao tal de Afonso Nunes que hoje é o segundo Conselhereiro do Presidente da República e vendeu a Igreja, as mãos dos saqueadores; no entanto nós vamos sair às ruas para exigirmos a História verdadeira desta Angola.
A condenação de Kalupeteca é para ameaçar os líderes regiliosos que tentarem opor-se contra o regime, a condenação dos 15+2 é para amedrontar a juventude que tentar discutir política e ou ler um livro de conteudo teórico e crítico, nós vamos sair às ruas e vamos exigir a liberdade de todos nós.

RA – Sim, no Tribunal foi declarado que os 15+2 discutiam actitudes de como derrubar um ditador e não de uma forma pacífica e portanto a Justiça foi clara de que actos de vandalismos devem ser condenados?

MR – Irmão, discutir como derrubar um ditador não é vandalismo em Dicionário nenhum, à não ser que o MPLA encontrou ou criou um outro Português, os manos foram condenados por lerem um livro, no entanto o MPLA deveria fechar todas as escolas e queimar todos os livros que existem em Angola e foram condenados por lerem um livro e o outro por ter um conteúdo Político, no entanto aquí não há arruaças, se nos chamam arruaceiros, o mesmo chamou arruaceiros Luther King, a Nelson Mandela, Gambi, e à todos outros foram chamaos arruaceiros pelos seus oponentes, me lembro aqui das palavras da Águas Lusa a responderem o pequenino Luvualo naquele debate em que tiveram e a discusão foi a condenação ou a detenção dos nossos manos em que o Luvualo afirmana que os livros que os manos liam é um livro altamente subversivo, eu reafirmo e confirmo aqui a afirmação do Água Lusa.

“Livro que os manos liam é altamente subversivo para sistemas ditatoriais que é o que temos em Angola”, porque para um sistema onde o Estado é Democrátivo e de Direito é um Livro altamente normal poderia se dar o prémio dos tantos dinheiros, valores que tem se gastado para os Big Brather, a esses jovens, em vez dos Laramas e outros, porque o que se cria na sociedade é que os burros os patéticos, os que não pensam nada é que têm que receber o dinheiro e outros prémios o os demais vão para cadeia, estamos factos
RA – Brigado, a Rádio Angola é mesmo a Rádio do povo, e dá voz a quem não tem voz, vou passar mais aqui à um dos Jovens que esta aqui, temos pouco tempo, boa tarde?

MR – Boa trde sim mano…
RA – O seu nome?
MR – Ussain Pacífico.

RA – De uma forma resumida, o que tens a dizer sobre a manifestação do dia 9 de Abril?
MR – sobre a manifestação é muito simples, avisar os jovens como eu e como os outros aqui do Movimento que o problema de um é o problema de todos, se o problema de um é o problema de todos e os manos já foram preços injustamente, se nós não fizermos nada amanhã também quando formos detidos também ninguém vai fazer nada então, todos os jovens como eu e não só pai, mãe, que estão bem fisicamente que adiram a manifestação.
RA – Esta manifestação , como já disseram, como aqui em Luanda, mas também noutras Províncias, para que não esteja em Angola como pode se manifestar?

MR – Para os que tiverem nos países onde onde Angola se faz representar, irão defronte a embaixada juntem-se aí, tem as comunidade que não é só para se juntarem, para comer funje de bombo, escutar Kizomba, mas também unir-se contra esta causa que é de todos, é levar panelas, tampas, para as Embaixadas e fazer barrulho mesmo aí.
RA – Brigado, vou também falar com o último elemento a ser entrevistado, que esta aqui comigo, boa tarde?

MR – Bao tarde…
RA – Seu nome?
MR – David Mendes.

RA – David Mendes, duma forma resumida o que lhe oferece a dizer sobre a manifestação do dia 9?

MR – A manifestação do dia 9, os meus companhrios de luta já deram a contribuição no que concerne a ideia desta manifestação não vamos levar muito tempo a isso porque nós queremso formar que as pessoas se mobilizem e apareçam, a mega manifestação está marcada para o dia 9 de Abril, ou seja neste Sábado as 13 horas no São Paulo e o lema é que todo medo se trasnforme em sede de Justiça, é isso que tenho a dizer e todo angolano que sente-se injustiçado que apareça e faça tudo pela nossa pátria, porque esta a ser já de mais, toda família já perdeu um membro por falta de medicamentos no hospital, que é vendedor, que é tipico dos povos africanos as mamãs venderem e têm levado surra nas ruas, pela injustiça dos nossos manos, do Kalupeteca agora, de Marcos Mavungo, é muita problemática para um povo ficar calado, então a ideia é esta, que todo mundo se mobilize, mobilize os amigos, vizinhos, colegas, vão lá fazer acção e eu também estarei com o movimento aqui dos meus manos que estão aqui nesta luta e fazer qualquer coisa para este País.

RA – Brigado, aqui então ficaram as ideias dos Jovens do alto denominado Movimento Revolucionário, que dizem estar tudo pronto para o dia 9 de Abril de 2016, portanto Sábado, no São Paulo de Luanda, para então se manifestarem contra as injustiças que têm ocorrido nos últiomos dias e também apelaram a quem sente-se injustiçado que faça parte desta causa para que a causa de um seja de todos, de Luanda para Rádio Angola saudações de Pedro Gonga.

Entrevista conduzida por Pedro Gonga
Edição: Adão Lunge

Perguntas e sugestões podem ser enviadas para info@friendsofangola.azurewebsites.net. A Rádio Angola – uma rádio sem fronteiras – é um dos projectos da Friends of Angola, onde as suas opiniões e sugestões são validas e respeitadas.

Clique neste link abaixo para ouvir o programa completo: http://www.blogtalkradio.com/radioangola/2016/04/08/ra-jovens-do-movimento-rev-saem-s-ruas-em-luanda-este-sbado

CategoryFoA

© 2020 - Friends of Angola

All Rights Reserved to  friendsofangola.kasaiconnect.com