Temos noção de que o País está com alguma dificuldade, há carência de medicamentos, mesmo assim os poucos fármacos que têm podem atenuar esta questão da malária, deve-se excusar a fazer suadores e levarem as unidades Sanitárias para serem tratadas. – Afirma Dr. Garcia.

Por Adão Lunge

Rádio Angola (RA): Tivemos o privilégio de entrevistar o Director da Repatição Municipal da Saúde em Benguela, Dr. Garcia da Costa para falar sobre o sector da saúde em Benguela. RA – Muito bom dia, boa tarde, boa noite, aqui é a Rádio Angola a partir de Benguela, fala o Vosso companheiro Adão Lunge, hoje estamos aqui nesta manhã, Segunda Feira dia 18 de Abril de 2016, para ouvirmos o Dr. Garcia da Costa, Director ou Chefe da Repartição Municipal da Saúde, de salientar o que esta em causa é a especulação que paira a nível da população, em volta da campanha de vacinação que está a ocorrer contra a febre amarela, a nível do Município de Benguela, Catumbela e Lobito. Portanto, nós viemos aqui ouvir o Dr. Garcia para tirarmos esta dúvida, já que é a voz autorizada a nível do Município de Benguela, sobre a especulação que paira sobre as comunidades de que; aoôs a vacina doi, o local onde foi vacinado enflama, porque após a vacina as pessoas continuam a morrer, porque as vacinas já não estão a surtir efeitos, portanto, nós queremos ouvir a voz autorizada…

Com todo respeito, Dr. Garcia muito bom dia?

Dr. Garcia da Costa – Bom dia, nós agradecemos a Vossa disposição para que possamos então levar a informação aos ouvintes, uma vez que, tanto como disse muito bem há uma especulação relativamente as condições com que a vacina esta sendo administrada, mas dizer aqui que, tudo quanto tem estado a ser divulgado nos bastidores, em princípio não corresponde a verdade, o que se passa de concreto é, devemos antes admitir que o Governo vez e continua a fazer um esforço no sentido de adquirir as vacinas para a vacinação contra a febre amarela, relativamente aos três Municípios da Província onde foram já encontrados casos suspeitos ontem, mas hoje já podemos afirmar que existe a febre amarela nesses três Municípios em particularmente caso de Benguela, onde inicilamente os casos de suspeitas eram casos provenientes a nível da Provincia de Luanda, mas neste momento estamos a falar de casos já com contaminação a nível do Muncípio, são casos otótomos, casos em que a contaminação esta ser de pessoas que nunca saíram a nível do Município de Beguela, isso é uma realidade r nós confirmamos.

Relativamente o que paira em relação a vacinação nós devemos dizer que a vacina contra a febre amarela esta sendo adminsitrada pela via parenteral, ou por outras palavras esta sendo feita por injeção, há o mito relativamente as pessoas, não só crianças e adultos relativamente, nós temos estado a ver isso nas Unidades de vacinação muita gente tem medo. Mas aquilo que nós podemos avançar é que a vacinação ou a vacina contra a febre amarela não tem efeitos colaterais, é uma injeção, ela pica, dizer que ela não doi estariamos a mentir, ela doi, tem uma ligeira dor, mas é uma dor passageira, mas em termos de efeitos adversos até agora nós não temos nenhum caso reportado, embora ouve a informação e eu particularmente tive no terreno para poder constatar de alguém que apanhou a vacina que depois sentiu-se mal, nós fomos até ao hospital onde se encontrava esta cidadã, que por sinal é funcionária da ShowPraite, nós podemos conversar com a Médica de serviço e que nos deu garantia, do relatório que ela fez dizia que de um tempo à esta parte sentia-se mal e ela não teve o cuidado de avisar a equipe de serviço de que tinha esse problema e teve um mau-estar, portanto, mau-estar não é relativamente a administração da injeção que foi feita mas sim, o quadro clínico que ela já apresentava e que depois ficou por se tratar de uma malária.

Mas também continua a se dizer a nível das zonas periféricas que a vacina esta a provocar mortes, a vacina esta a provocar cada vez mais doenças, isso não corresponde à verdade, é preciso dizer que para além do surto da febre amarela que se faz sentir no País, em particularmente no Município de Benguela, também estamos diante de um surto de malária, há muitos casos de malária e que tal como nós dissemos de que as pessoas devem aquando da presença nos postos de vacinação devem informar o seu estado de saúde, se tem febre, se tem dor para que, com base nisso nós podemos avaliar e dizermos se sim ou não deve fazer.

Sendo Benguela um Município endêmico em malária, tanto, há muitas pessoas que têm a malária encubada e que só depois de alguns dias é que ela vem a superfície e começa haver alguma conscidência relativamente ao paludismo encubado e relativamente a precausão da injeção da vacina contra a febre amarela o que faz com que as pessoas tentam relacionar, nós continuamos a dizer que não é, não há nenhuma relação e mais também para dizer que a vacina contra a febre amarela é apenas para prevenir a febre amarela e não para prevenir a malária, os casos morte, os casos altos de malária não têm nada haver com o facto deste ou aquela pessoa ter feito ou ter sido submetido adminsitração da vacina contra a febre amarela, não agora, é preciso também dizer e isortar a comunidade de que sempre que estiverem doentes o que devem fazer é recorrerem as Unidades Sanitárias e não manterem-se em casa ou em unidades parivadas e só depois do caso agravar irem para as Unidades, por um lado, por outro lado, também, com todo respeito que tenho com a medicina tradicional fala-se bastante dos tais cura tudo, dos tais suadores que têm estado a fazer em relação as zonas mais perféricas, bem, são técnicas que a medicina Tradicional tem estado a usar, mas é esse suador não minimiza não curam como tal, suadores como se diz é para minimizar, tira dor, além da febre amarela, para além da malária, também temos de ter em conta que o Município esta assolado com a Dengue, Tchikungunhã e que têm características, fazem com que ou melhor a clínica cursa com dores musculares e faz com que estas pessoas fazem suadores aparentemente de uma melhoria, não dá, as pessoas devem ser levadas às unidades Sanitárias o quanto antes se possível para que possam ser tratadas, porque enquanto continuarem a fazer suadores, pensando que suadores curam, estamos a levar ao estremo a nossa doença, porque os casos que têm estado a surgir são casos que chegam já a nível do Banco de urgência, o que justifica também que, tem haver com o levar tardio das pessoas, dos doentes a nível das Unidades Sanitárias, do hospital Municipal e do hospital Geral, devem ir o quanto antes, se for por exemplo numa das unidades Sanitárias e fazer a pesquisa do plasmódio e levar o quartem tratar, de certeza absoluta não vai chegar ao estremo que esta a tingir.

Por isso dizer as nossas populações que não há relação, não há relação entre a febre amarela e a malária ou os casos de morte, os casos de morte estão a surgir porque as pessoas não estão a levar os seus parentes para as Unidades Sanitárias à tempo e hora, estão a deixar para o ultimo plano e particularmente os famosos suadores estão a ser feitos, dizem que cura e não está curar, muito pelo contrário estão aumentar, está a fazer com que haja cada vez mais a degradação do estado de saúde nas nossas populações e nós não aconselhamos que se faça isso, temos noção de que o País está com alguma dificuldade, há carência de medicamentos, mesmo assim os poucos fármacos que têm podem atenuar esta questão da malária, deve-se excusar a fazer suadores e levarem as unidades Sanitárias para serem tratadas.

RA – E neste momento em que já lá foram cinco (5) dias desde o início da campanha é posível, o Dr. descrever aqui algumas preliminares de como é que está a ocorrer, se a população está afluir em massa, se falta de meios técnicos, independentemente destas especulações que vão pairando a nível das comunidades, há uma ou outras dificuldade que a repartição Municipal esta a encontrar em vlta desta campanha?

Dr. Garcia da Costa – Bem, nós, em termos de dificuldades temos noção que o País tem alguma dificuldade e o Município não foge a regra, mas no concerne a logística relativamente as vacinas, nós temos vacinas suficientes, nós recebemos mais de Guinchentos e Cinquenta mil doses (550.000) dozes para uma população aproximadamente de Quinhentas e quarenta e uma mil (541.000) pessoas, nós estamos enquerer que temos condições de podermos vacinar todas as populações.

Alguma dificuldade, relativamente com os cartões de vacina para que as pessoas tenham alguma identificação relativamente, de que foram vacinadas, nós temos algumas dificuldades em relação esses cartões, mas mesmo assim nós estamos a usar outros meios que é o uso de folhas de A4 para que possamos então repartir para que as pessoas possam receber e guardar esse papelinho para que tão logo haja reforços de cartões para que possam então ser substituidos, relativamente ao número já vacinado até o momento tanto dize que desde os primeiros três dias nós estavamos com uma margem de Sessenta mil (60.000) pessoas dia, tivemos uma decaida, um decréscimo no final de semana, no Sábado já que nós estavamos a ter essa média, porque a média de vacinação é de Cinquenta mil (50.000) por dia patindo do princípio do número de equipe que temos no terreno uma média de Sessenta (600) a Oitenta (800) pessoas a vacinar estamos com uma margem acima da média, mas relativamente ao Domingo nós decaímos ligeiramente em função daquilo que achamos ser realidade, porque nós a estratégia que usamos foi, estarmos a nível das Igrejas que o Município tem para que possam ser vacinadas.

Por outro lado também assumimos de que esse decréscimo é de certa forma exagerada em função das informações que pairam pelos munícipes e que faz com que algumas dessas pessoas não foram, e eu pode comprovar isso segundo as quais, algumas pessoas preferiam preterir a vacinação em dentrimeno de terem que ir a uma festa, já que dias antes ou dias depois da vacina nós aconselhamos que essas pessoas não podem nem devem beber porque o álcool até certo ponto fará uma interação relativamente com o fármaco e nós não aconselhamos que as pessoas tenham bebido um dia antes ou um dia depois, e por se tratar de um fim-de-semana as pessoas preteriram fazer a vacina em relação à um final-de-semana, também continuamos a dizer sobre aquilo que tem se dito de que as pessoas têm de ficar dez dias, não são dez dias que as pessoas devem estar depois de fazer a vacina, Vinte e Quatro (24) Quarenta e Oito (48) horas depois de Setenta e duas (72) horas a pessoas leva a vida normal e achamos que o bom cidadão também tem noção de que os dias de semana são dias de trabalho, não se deve beber, se tiver que beber é de uma maneira moderada, mas qualquer das formas nós continuamos apelar e a dizer que sim quero fazer a vacina não devo ter o uso de álcool um dia antes e deverá continuar a fazer o álcool Quarenta e Oito (48) horas depois para que a vacina possa fazer os seus efeitos, embora os seus efeitos terão função ou efeito, passo o termo, dez dias depois, daí que há esta relação mas insisto, o Governo já fez a sua parte já tem as vacinas, agora cada cidadão deverá também fazer a sua parte, isso fez com que diminuisse o número no sábado e no domingo e nós achamos e continuamos apelar para que as pessoas continuem à aderir aos postos de vacinação, não fica a espera no serviço, em casa, porque é extremamente desgastante, as equipes que nós temos e nós estamos a ir por aí, e se termos que ir de empresa em empresa, embora estarmos a fazer em simultâneo, estamos a fazer nas escolas, mas é preciso que haja também um esforço por parte as populações no sentido de ir ao encontro do vacinador, porque nós estamos ali, temos as condições criadas, numa empresa, temos que manter, tem que ter condições e as experiências que tivemos ao logo do final-de-semana é que mesmo algumas empresas com toda comunicação que esta sendo feita alguns funcionários ainda recusavam-se a fazer a vacina.

Não se devem recusar a vacina, a vacina é grátis, a vacina não efeitos colaterais, até agora estudos dizem que não, por isso que as pessoas não devem ficar a espera, devem ir ao encontro, devem sair, nós estamos a preparar condições e aí sim, condições para que possamos então estar a vacinar nas duas zanas de maior dimensão populacional, eestamos a falar da Zona “E” e da Zona “B”, que é lá onde também em termos de nível de números de Unidades Sanitárias são reduzidos, mas nós já temos um plano estratégico para vacinar a Zona “A”, o Bairro do Quatro de Abril, os coordenadores do Quatro de Abril que estejam descansados que nós vamos chegar até ali, estamos a fazer em algumas zonas, mesmo a zona do Kalossombékua, o Bairro do Setenta e um (71), nós vamos a esses bairros já lá estamos em número reduzido mas, nos últimos três dias nós estaremos nestas duas zonas para fazermos a vacinação em massa porque achamos que Cinquenta ou senão mesmo Setenta por cento (50% à 70%) da população de Benguela está nessa zona, hoje e nesse momento que vos falo nós já estamos a invadir, passo o termo a Zona “B” vamos já ainda em relação ao Onze de Novembro (Bairro 11 de Novembro), para que aos poucos podemos então penetrar, mas demos garantia que estamos a preparar as condições para que o Bairro Quatro de Abril, o famoso Mercado da Paz nós lá estaremos vamos estar em massa, o que nós continuamos a pedir é que as pessoas se organizem, não há necessidades de haver impurrões, não há necessidades de refutarem-se a vacina como já num dos bairros referio-se, isso não poderia fazer porque não tem cartão e contua a dizer que, aquilo que é mais importante é a facinação e não o cartão, o cartão é apenas para confirmação de que tem a vacina feita, mas melhor do que a consciência de cada um ter noção de que eu fiz não tenho cartão, eu fiz a vacina isso éo ideal, porque nós não temos muitos recursos para que possamos multiplicar os cartões para podermos dar à todos, então é preciso que as populações também entendam esse ponto de vista que o mais importante é fazermos a vacinação, se cada cidadão, cada Munícipe de Benguela tiver feito a vacinação e não ter o cartão é menos importante o cartão e mais importante a vacinação isso é que nós estamos a pedir.

Por isso saiam as ruas, para que possam ser vacinadas, como eu disse os coordenadores de zonas, os Sobas, os Seculos, vão preparando as populações, vão aconselhando para que façam e participem na vacinação porque a vacina não tem contra indicações para ou efeitos colaterais, as contra-indicações como eu disse os técnicos estão aí, estão preparados, aquele indiviuo que sabe que tem algum problema de saúde de forma muito particular pode chegar a um dos membros da equipe e falr sobre o seu estado de saúde, eles estão preparados, estão orientados e vã explicar se deve ou não deve fazer a vacinação, aquilo que nós achamos que e contra indicação são as mulheres grávidas, passar bem e tornar claro, mulheres grávidas com menos de três (3) meses de gestação, essas em princípo não devem fazer, mas aí mesmo assim também vemos o risco benefício de pessoas que estejam a fazer tratamento com Quimeo ou rádio terapia, esses também não devem fazer, pessoas que têm alhguma imunesupresã que por exemplo vivem com HIV essa não é que não devem fazer, mas técnicamente podemos avaliar e vermos em termos da percentagem se é de quanto no organismo, se for baixa vai fazer, se for alta aí é que não, mas também continuamos a dizer que devem procurar os técnicos para serem orientadas, pessoas com tuberculose em função do estado que já esta em tratamento, são coisas que nós vamos avaliar, pessoas que têm hepatite B, essas não devem fazer, tanto que cada caso nós vamos avaliar e vamos orientar para que possam fazer, o que nós queremos é que vão e nós vamos dar as informações todas.

RA – Mas esses cuidados todos forma passados, para que os Sobas, a comunidade, os responsáveis das áres a serem vacinadas estão a levar esta mensagem, vão perguntando, porque eu por exemplo quando fuí vacinado a única coisa que me foi perguntado é o nome, a idade, passaram no livro dos registos, conforme o Dr. Disse que não há cartões, tinha esta informação de que era preciso levar cartão, mas eu também não cobrei porque achei que se não me foi dado é porque não existe, mas ficou no livro de registos para que a repartição Municipal possa e tenha esse registo, para no fim do mês no fim da campanha saberem quantos foram vacinados, mas agora, a ideia que fica é essa, os técnicos vão perguntar antes de vacinar ou os individuo, os cidadãos, a serem vacinados é que terão a responsabilidade de se explicar, é essa a dificuldade que nósestamos a encontrar no terreno, em todo lado onde passamos, constatamos para chegarmos até aqui e ouvirmos a voz máxima que é o Dr. Garcia.

Dr. Garcia da Costa – Correcto, dizer que antes da campanha nós tivemos uma fase de formação, formamos os técnicos, mas antes fizemso a formação dos formadores, para que estes formadores podessem continuar a formar na zona e no bairro, acredito que em função também de alguma pressão dos técnicos que têm estado a sofrer e das condições climatéricas, embora com sombra mas o calor que se faz sentir provoca um ligeiro desgaste e que faz com que alguns momentos certas pessoas não questionem, daí que eu insisto e dou, passo o répto aquelas pessoas que têm algum problema de saúde podem manifestar em um dos membros da equipe para que possa ser orientado, aquilo que nós garantimos é que nós formamos, os técnicos têm esta informação têm noção e sabem perfeitamente que se alguém e com alguma dificuldade de algum problema de saúde de como é que eles devem actuar, há esta formação, há esta informação, nós continuamso a pelar e aí está também aquela componente do cidadão em querer fazer a sua parte, cada um deverá fazer a sua parte, claro que algumas pessoas têm, e ontem pelo menos acompahei pessoas comuma certa idade que já falavam que, há não eu sou hipertenso, que tenho este e aquele problema e nós em função da realidade de cada um vamos fazer, se é hipertenso tem os níveis tencionais controlados faz a Sua medicação não vemos porquê que não deve fazer a vacinação.

Poratnto, nós continuamso a dizer que as pessoas não devem se preocupar muito com o cartão, devem se preocupar em fazer a vacina, aquilo que nós queremos é no final dos dez dias temos todos os Munícipes de Benguela vacinados, o que vai nos dar garantia de prevenção evitando com que o mosquito “Esagípte” que é um provocador da febre amarela está entre nós, então é preciso que as pessoas estejam vacinadas e temos a noção, temos informações de que as campanhas de limpeza para o combate ao lixo têm estado a ser realizadas a nível das várias zonas, bairros e localidades, se cada um de nós fizera sua parte quero acreditar que nós vamos ter resultados satisfatórios relativamente a esta doença.

RA – Falou aqui da descentralização, da expansão das vacinas, para os bairros 11 de Novembro, 4 de Abril e a Zona “B” portanto nõs gostariamso de saber quais são as políticas que estão a ser aplicadas em prol dessa campanha contra os bairros novos mas com um nível de crescimento populacional muito elevado, estamos a falar do Bairro Ekuikui, Viva a Paz, de Agostinho Neto, se já há técnicos na queles bairros, é um pouco distante, mas é a tal chamada Benguela Sul.
Também sabemos que não os Postos Médicos são poucos tanto faz Estatais como privados e as Escolas já não falamos, qual é a política que está a ser utilizada, se há uma brigada móvel que está a fazer face aqueles bairros que ficam muito distante do centro da cidade?

Dr. Garcia da Costa – Bem estratégicamente nós começamos por vacinar o centro urbano e é assim que nos foi orientado que fossemos a fazer mas não porque privilegiamos quem vive na cidade, mas estratégicamente assim achamos, assim a coordenação achou, mas é preciso dizer que nós a nível das zonas temos as coordenações técnicas, por isso é que em todas as zonas, em todos os bairro nós já estamos e falou o que eu disse antes que, temos algum cuidado relativamente à zona “B” que é a zona de maior expansão, esses bairros todos que referiu nós não nos esquecemos deles, por isso é que estavamos a chamar atenção e eu disse que a zona “A” e a zona “B” é lá onde estão 60% da população que vive, residente em Benguela, estratégicamente como eu disse temos as condições criadas por isso é que nós deixamos para os três últimos dias vamos atacar esses bairros porque sabemos que a nossa presença lá vai ser desgastante, então esta uma estratégia criada, estamos a espera do momento, enquanto isso nós continuamos em alguns bairros perféricos de menor dimensão ainda a nível do sentro da cidade, porque ainda existem Escolas, algumas empresas públicas e privadas.

Por outro lado, ao mesmo tempo que neste momento nós já vacinamos por exemplo a zona da Talamajamba, já temos vacinada a população que lá reside, o “Uche” também, até ontem Domingo já tinhamos na Sexta feira essa população vacinada, há aí um distanciamento, há um grosso que vive entre o Talamajamba Uche e o Viva Paz, Ekuikui, nós temos noção disto por isso é que estratégicamente como disse as condições estão criadas para que possamos ir pra lá.
Nós enquanto Repartição coma cordenação técnica do Município asumimos o compromisso tal como já tinha dito, independentemente da campanha ser dez dias, em função daquilo que forem a quantidade de vacinas que nós tivermos nós vamos continuar mais algum tempo até acharmos que temos as vacinas concluidas ou terminadas, mas também com anoção de que vacinamos os Munícipes todos de Benguela, portanto nós vamos pra lá, para essas populações nós não temos Unidades Sanitárias lá, mas nós vamos vacinar e o Senhor Jornalista vai poder confirmar isto no final da campanha.

RA – Para terminar, qual é a mensagem que deixa já que pairam estas informações não credíveis de as pessoas não poderem aproximar-se, uma mensagem para os Munícipes no sentido aproximarem-se, uma vez que faltam poucos dias para a campanha terminar?

Dr. Garcia da Costa – Bem, de forma muito grossa e sintética dizer que as infromações que pairam, relativamente os dez dias de vacinação, ou melhor dez dias sem o álcool, de que as pessoas estão a morrer, isso é uma autêntica aldrabice, não é real, esta vos falar alguém que entende relativamente a componente Saúde Pública, e nós temos e sabemos perfeitamente que toda vacina antes de ser administrada em humanos passa por três (3) testes, isso já foi feito e foi realizado, a vacina que estamos a receber tem qualidade não estamos a registar situações ou casos adversos, por isso os nossos Munícipes de Benguela não deem ouvido à estas pessoas, alias muitas dessas pessoas que estão a fomentar já fizeram a própria vacina, então se vocês se deixarem levar por estas informações vocês mesmo é que vão ficar a perder, por isso saia já de casa vai ao Posto de vacinação mais próximo, vai a mãe, leva a famíla toda para fazer a vacinação, o nosso conselho é que não deem ouvido à estasmpessoas que estão a dar, a especular essas informações aquilo que nós garantimos é que a vacina tem qualidade está em bom estado de conservação por isso devem aparecer as Unidade para serem vacinadas, emtermos de conservação a cadeia de frio do Município de Beguela foi muito recentemente reforçada com equipamentos aquando da reinaguração da sala de partos da cambanda e do Armazem Municipal, Sua Excelência Senhor Governador, quem teve la e pelos meios de Comunicação social tiveram a oportunidade de ver as mini-arcas, tanto isto foi no sentido não só em fnção desta campanha mas para poder manter as melhores condições, as vacinas feitas a nível do Municípo de Benguela, elas têm qualidades, estão a ser bem conservadas, por isso não há razões de preocupações, saem de casa, e vão a vacinação.
Em relação a malária, a vacina que estamos a fazer não é para malária mas sim para a febre amarela, é isso que nós pedimos, não tem dor, a dor é mínima, não provoca inflamação, não provoca febre, devem sair de casa, para irem a vacinação.

RA – Dr. Garcia, a rádio Angola sente-se congratulada, por ter sedido essa entrevista logo na mahã deste dia, portanto esperamos que nos próximos dias tenhamos essa cobertura e também vamos esperar pelo balanço geral depois do fim desta campanha para a RA ter uma noção daquilo que foi ou que será esta campanha, muito obrigado, passar bem este dia e sucessos na carreira profissional.

Dr. Garcia da Costa – Nós agradecemos, sempre dispostos para podermos avançar com informações que acreditamos que são do interesse de todos particularmente quando se fala de saúde e acaterem os conselhos que nós deixamos e estaremos sempre disponível para voz.

RA – Muito obrigado sim…

Clique neste link abaixo para ouvir a entrevista: http://www.blogtalkradio.com/radioangola/2016/04/18/dr-garcia-anuncia-campanha-de-vacinao-contra-a-febre-amarela-em-bengguela

CategoryAdão Lunge

© 2020 - Friends of Angola

All Rights Reserved to  friendsofangola.kasaiconnect.com