RA: Bem-vindos ao Programa ENTRE NÓS, como sempre com o Master Ngola Nvunji a partir de Londres, programa entre nós aqui na sua Rádio Preferida, aqui na catedral do Debate Rádio Angola, a partir de Londres o nosso lema continua a ser o mesmo, “Sem Deus nós somos um zero a esquerda”, por isso agradeça ao Senhor pela Sua constante intervenção em nossas vidas como é sabido aqui neste programa, no entre nós, nós falamos das coisas que mais se falam e nos dias de hoje o que mais se fala, pelo menos aqui no Reino unido e acredito até certo ponto, com muita frequência na Europa é sem dúvidas o resultado do passado referendo do dia 24, referendo que iria decidir se o Reino Unido deveria ou não permanecer como Membro da União Europeia, como é do seu conhecimento, foi um referendo que a maioria dos Britânico votaram a favor da saída do reino unido da União Europeia, tenho aqui alguns dados, foram trinta milhões de pessoas que se registaram para votar, destes trinta milhões dezassete milhões e meio que é equivalente à 51,9% dos eleitores votaram a favor da saída do Reino unido da União Europeia e contra pouco mais de 17 milhões de pessoas que é o equivalente 48,1% dos eleitores que votaram a favor da permanência na União Europeia e como e qualquer Democracia verdadeira, é claro que não há democracia absoluta, mas aqui no Reino Unido isso de facto não se pode duvidar, não se pode questionar, até que é um dos Países mais democráticos do Mundo e como tal a maioria venceu e a maioria vencendo significa que a Inglaterra deu o primeiro passo para caminhar, não diária sozinho, mas fora deste bloco Político-Económico.
É sabido hoje de que a União Europeia é o maior bloco Político-Económico, passa assim a dar os primeiros passos mas, também consigo surge uma tremenda onda de incertezas, muito nervosismo, não só entre os cidadãos Britânicos mas também no seio de todas outras comunidades daqueles Países, de povos não Britânico, mas sim estrangeiro que aqui vivem, quando se trata de muitos estrangeiros que vivem nesta terra estão os vários angolanos e como angolano que só porque não falarmos sobre esta situação.

Assim sendo, hoje vamos falar um pouco sobre esta situação, esta nova fase, nova era na História do Reino Unido, uma era que é de muitas incertezas como disse anates, a verdade é que ninguém, absolutamente ninguém sabe o que vai acontecer a partir de agora, porque é uma fase nova não se pode saber, como se diz “O futuro à Deus pertence” e acredito que para esta situação é claro que muitos espertos, muitos comentaristas, muitos académicos, com base nas suas analogias tentarem mostrar um senário daquilo que poderá ser o Reino Unido, mas tudo não passa de especulações, não à nada de concreto em relação aquilo que vai ser, que vai acontecer inclusive não se sabe se de facto essa retirada vai se concretizar mas, são muitas situações que poderemos aqui discutir, vamos procurar entender e eu tenho como convidado para aqui me ajudar a decifrar essa situação, o meu amigo Ngica Tetembo ativista cívico e Analista Político que vai então emprestar o pouco daquilo que é o seu saber das informações que tem baseadas nas suas pesquisas para então vermos até que ponto podemos saber ou ter uma ideia daquilo que aconteceu, os seus efeitos, o quê que poderá ser futuramente 0u quais serão as suas ramificações que este resultado do referendo de Quinta-feira dia 23 do Mês e ano (23/06/2016) em curso poderão.

RA: Gika Bem-vindo ao nosso programa, bem-vindo ao programa ENTRE-NÓS, é um prazer ter-te aqui, como sabes a maioria venceu e assim o Reino Unido começa a dar os primeiros passos ou começa a preparar-se para sair da União Europeia.

Gika Tetembwa: Muito obrigado Master Ngola Nvunji, em primeiro lugar aproveito cumprimentar essa audiência e nomeadamente dizer que sim agora estamos a viver a realidade do referendo e vamos falar aqui um pouco sobre as questões que nos preocupam e que queremos trazer um bocado de calma no meio dessa controvérsia que vai nascendo outros problemas e que vão afectando directamente as pessoas da nossa comunidade.
RA: Gika, a maioria venceu, 17 milhões e meio dos eleitores votaram a favor da retirada do Reino Unido da União Europeia, mas os efeitos começam já se fazer sentir, a Libra Cai e cai de forma estrondosa, drástica diante das moedas principais internacionais, neste caso o Dólar e o Euro, começa haver problemas sérios concernentes a Política aqui no Reino Unido, depois podemos dizer que estamos diante de uma crise Política, temos também uma situação que as pessoas começam dar conta da situação em que o País se encontra, à quem diga que a Inglaterra está a beira de uma possível recepção económico-financeira e muita gente começa assim a dar sinais de arrependimentos, estava ali acompanhar algumas entrevistas, na Rádio, na Televisão, muita gente votou a favor desta retirada começam assim a dizer que talvez fizeram de forma emocional porque até certo ponto lhes foi vendida uma ideia falsa dessa maravilha que seria o Reino unido fora da União Europeia, muitos lemas muitos símbolos que até certo ponto confundiram as pessoas, usou-se a questão financeira, usou-se a questão dos emigrantes, Ngica o quê que achas?
Ngica: Bem, tudo começou no dia seguinte após o dia 23, quando o líder da Estrema direita que é o Nacho Ferrage, que foi uma das pessoas que praticamente vamos dizer aqui noutras palavras o Nacho Ferrage cumpriu a sua missão, acabou com a carreira Política do actual Primeiro-Ministro David Cameron que brevemente será cessante porque já deu a sua entrevista e já disse que vai deixar de ser Primeiro-Ministro em Outubro, portanto, Nacho Ferrage quando foi a um dos canais de Televisão, se eu não esto em erro foi a TV-ONE e quando lhe puseram a pergunta em que foi uma das cisas que moveu muitos Britânicos, principalmente se olharmos geograficamente no Weste Mid Land e no Wiste Mid Land, onde que foram os maiores números de votos da Campanha do Live para sair fora foram 59.3% e 58.8%, nestes sítios as pessoas contavam que estes 350 milhões de Libras fossem voltar para Nacho Ferrage, em frente o programa disse não, eu desconheço isso, eu nunca ouvi falar disso, então daí começou o golpe frio que as pessoas na Inglaterra começaram a sentir depois deste referendo.

Para tal, tem uma petição que estai a correr nas redes sociais que já vai com 3 milhões e Setecentos assinaturas e segundo uma Televisão Russa que é a Rachon Today já estavam a falar especificamente sobre esta petição e dentro desta petição esta havendo muitas pessoas que estão assinar e não são Britânicos, então esta petição provavelmente não vai levar à lado nenhum, porque até Marila Pen da França também assinou esta petição e gravo ao vivo no seu Blog ela assinar com nomes falsos e a petição conto com mais um número, sendo assim é uma petição que esta sendo totalmente fraudulenta e realmente os Britânicos estão a começar a aceitar cada minuto e cada hora que passa de que é uma realidade é um facto equivocado mas estamos fora, digamos mais, há outros Britânicos que dizem se nós fizermos um outro referendo desta vez teremos certeza de que o número dos que votaram para o Reino Unido ficar na União Europeia vai aumentar e vamos estar numa situação de um contra um, depois vamos precisar o desempate e onde que vamos parar, isto já não é democracia, portanto, Master Angola Vunge, nós estamos comas pernas e as mãos atadas.

RA: Gika Tetembwa, tem uma das situações que muito se comenta, muito se discute, é a forma como se comenta como se discute até certo ponto ilusória conforme a campanha foi feita, vendeu-se uma ideia como disse anteriormente uma ideia de que o País fora da União Europeia seria uma grande maravilha, os Britânicos teriam muito mais dinheiro, falou-se ali da questão dos 350 milhões são enviados todas as semanas para a União Europeia que segundo Nacho Ferrage da estrema direita e até mesmo o próprio Boris Johnson, isso foi a grande marca deles da campanha que este dinheiro haveria de voltar para o Reino Unido e haviam de empregar nos serviços de saúde, coisa dessa que não aconteceu, não é a verdade, porque eles próprios começam a desmentir, então, isso faz com que as pessoas comessem a dar conta de que cometeram um erro, não será assim tão maravilhoso como se pensava esta saída do Reino Unido à união Europeia.
Gika Tetembwa: Para além de terem essa informação com relação aos dinheiro que a Inglaterra põe mensal ou semanalmente na união Europeia que estava a desfalcar por completo a economia Britânica assim dizia Nacho Ferrage, até o Boris Johnson que é um dos candidatos a Primeiro-Ministro a emigração, portanto, os emigrantes aqui alegam que são pessoas que só dependem das ajudas sociais que vivemos permanentemente a depender de ajudas, o problema não é os emigrantes, porque os emigrantes contribuem 47% para a economia da Inglaterra, os emigrantes estão em posição boa, fazem trabalhos que os Jovens Ingleses não aceitam fazer e tem emigrantes que fazem o trabalho de limpar as ruas com nível académico aceitável, por uma questão de dar os primeiros passos na sociedade, até que isso é uma escada, as pessoas sobem gradualmente e então aqui está, o problema não é os emigrantes muito mais menos a União Europeia.
O meu ponto de vista analítico, eu acho que o grande problema é que desde a saída de um carismático Primeiro-Ministro que nós tivemos, foi o Tony Blle, que deixou um vazio enorme e este vazio até agora não tivemos um Primeiro-Ministro com este carácter para poder então comover esta grande Britânica e como consequência nós tivemos um Primeiro-Ministro que nas primeiras eleições que ganhou teve que dividir o poder com os liberais democráticos, nas segundas eleições ganhou com uma vantagem, mas antes do segundo pleito eleitoral já ouve também as eleições da União Europeia em que Nacho Ferrage da estrema direita já esteve acima dele e aquilo já é um aviso, o próprio Primeiro-Ministro foi quem veio com essa ideia de referendo de que se eu ganhar as eleições nós vamos fazer um referendo para saber se ficamos ou não ficamos na União Europeia e o referendo teve o resultado que teve, os Ingleses preferem sair da União Europeia e a carreira do Primeiro-Ministro então termina por aqui.

RA: Gika é uma situação que vamos assim dizer, diga-se em abono da verdade que, apesar que as pessoas estavam conformadas de que iriam para um referendo, mas as pessoas estavam quase todas elas confiadas de que o resultado final seria a favor da permanência não foi isso que aconteceu, demostrou-se simplesmente que os que estavam na campanha a favor da saída foram muito mais inteligentes conseguiram aproveitar melhor os pontos fracos dos da campanha contrária e foram capazes de persuadir mais de forma melhor a população no sentido de votar naquilo que eles acham ser a causa justa que era a causa da saída do Reino Unido na União Europeia. Agora estamos com situações muito difíceis, como dissemos há uma incerteza grande mas que também pode dar azo para o próprio desmembramento do Reino Unido, não esta simplesmente a falar da questão da União Europeia mas também as consequências que isso pode ter na mesma União destas quatro Nações aqui no Reino Unido, gostaria que falaces um pouco sobre essa situação.

Gika: Sim, portanto, nós sabemos que se não esto em erro a um ano atrás, quase dois anos os Franceses também tiveram o seu referendo para poderem deixar de ser parte do Reino Unido da Grã-Bretanha mas que a Escócia ao fazer o seu referendo não foi muito bem esclarecido, principalmente no seio dos Jovens então como consequências acabou então com a Escócia a manter-se como parte do Reino Unido da Grã-Bretanha, mas, com o quadro atual que nós temos dos votos, a Escócia voto para ficar e por uma questão de manter a economia da Escócia será mais funcional a Escócia ficar na União Europeia, neste caso os Escocês estão a reunir e o Primeiro-Ministro já fez a sua impulsão para que possam começar as possíveis preparações para um referendo, porque os Escocês não querem ficar fora da União Europeia, querem estar na União Europeia e isso vai acontecendo também com os outros Países as duas Irlandas querem voltar a se unir independentemente daquela questão histórica que eles tiveram de muitas desavenças e aqui fica uma outra coisa, depois desse referendo, a Inglaterra passou a entrar então numa crise Política, essa crise política esta também dentro do Partido dos conservadores que estão na liderança.

E também, na oposição é visível, então, nós aqui para além de termos o colapso do Rino Unido da Grã-Bretanha a própria política também não esta em posição e eu acho que daqui a pouco vão criar uma instituição empírica para controlar o país até que os políticos na Inglaterra possam decidir, porque o Primeiro-Ministro já disse que perdeu a confidencia, já não vai continuar como Primeiro-Ministro, já não podemos mais esperar três meses, já não podemos mais esperar até Outubro tem de ser imediato, por outra o Primeiro-Ministro terá de acelerar as coisas porque a vida continua, é secular e isto é a demanda que os Britânicos fazem, nós conversamos aqui nas ruas com os vizinhos, com os reformados e os jornais locais estão mais próximo dos cidadãos Britânicos e essa é a conversa, já que estamos no meio desta situação vamos acelerar o David Cameron tem de ir imediatamente e começarmos então a vida para que então nos próximos dois anos a Inglaterra esteja preparada para levar de ombros e peito esta mudança.

CategoryAdão Lunge

© 2020 - Friends of Angola

All Rights Reserved to  friendsofangola.kasaiconnect.com